22 de mar de 2013

Entrevista: Leonardo Boff fala sobre o novo Papa

Leonardo Boff no programa Roda Viva de 18/03/13



O teólogo brasileiro fala sobre o futuro da Igreja e a escolha no novo Papa, confira: 


Bloco 1





Bloco 2





Bloco 3



Bloco 4





“Esse Papa encontra uma cúria desmoralizada”
O teólogo Leonardo Boff fala sobre o futuro da Igreja e a escolha do novo Papa

O Roda Viva entrevistou no dia 18 de março o teólogo Leonardo Boff. Entre as pautas que nortearam o programa estavam a eleição do Papa Francisco, o futuro da Igreja enquanto instituição e a conturbada relação com Bento XVI, responsável por conduzir um processo que proibiu Boff de falar em público, dar aulas e publicar textos durante um ano.

O teólogo falou com grande esperança sobre o novo Papa, como se o conhecesse profundamente. Homem cristão, simples e de caráter foram algumas das qualidades que destacou sobre Francisco. Para Boff, ele está inaugurando o terceiro milênio. “um estilo novo para honrar o seu inspirador que foi São Francisco de Assis. Vivendo um evangelho que nasce de baixo. Com elementos muito significativos”.

Uma espécie de líder cristificado? Para o teólogo, o novo Papa vai lutar por uma igreja dos pobres para os pobres. Uma igreja que fará justiça, que veio para os oprimidos. Um Francisco, Papa, mas sem vaidades, preocupações com as aparências e que é adorado nas regiões periféricas. Ele que antes foi o cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio, agora assume o nome um frade, que ficou conhecido pela sua simplicidade, imitador de Cristo.

“Para mim, São Francisco significa o sentido da igreja. Esse Papa encontra uma cúria desmoralizada”. Segundo Boff, a igreja foi atingida na sua essência e vem se perdendo força. O novo Papa simboliza a renovação da esperança de um novo tempo. No entanto, a modernidade pode ser um grande problema para Francisco, que é contra as pílulas anticoncepcionais, o aborto e foi militante contra o movimento LGBT na Argentina. Ainda assim, o teólogo acredita que na posição de Papa colocará essas questões em discussão.

Outro assunto que pode surgir e até surpreender é o intocável celibato. Uma questão polêmica, mas que é evitada pela igreja. De acordo com Leonardo, essa pode ser uma forma de resolver problemas ministeriais como a falta de padres. Boff defende que essa não deveria ser uma condição imposta para servir a igreja e sim uma opção do padre. “Quer que o padre seja mais humano? Então deixa ele se casar”. O teólogo destaca ainda que muitos padres têm vida dupla porque não aguentam o celibato. “A sexualidade é uma força vulcânica”.

Leonardo é um grande nome da teologia da libertação, uma filosofia que une marxismo e catolicismo. Deu aulas em diversas faculdades do Brasil e do mundo, além de escrever mais de 60 livros. Por sua postura liberal, Boff foi julgado e até condenado pela Igreja. Ameaçado de novas punições, abandonou definitivamente a batina em 1992. Mesmo assim continuou próximo do cristianismo.

Apresentado pelo jornalista Mario Sergio Conti, o Roda Viva ainda teve a participação do cartunista Paulo Caruso e contou com os seguintes entrevistadores para esta edição: Roldão Arruda (repórter de política do jornal O Estado de S. Paulo), Ricardo Kotscho (comentarista do jornal da Record News, editor do blog Balaio do Kotscho e repórter especial da revista Brasileiros), Maria José Rosado (presidente da ONG Católicas pelo Direito de Decidir), Reinaldo José Lopes (repórter de ciência do jornal Folha de S. Paulo) e Sandra Duarte de Souza (doutora em Ciências da Religião).

Fonte: http://tvcultura.cmais.com.br/rodaviva/leonardo-boff-vai-para-o-centro-do-roda-viva

Nenhum comentário:

Postar um comentário

LEIA, COMENTE, E DIVULGUE!